26 abril 2016

"Nas telonas" A garota no trem



A trama acompanha Rachel (Blunt), uma alcoólatra deprimida que fica obcecada com a suposta vida perfeita de um casal (Luke Evans e Haley Bennett), que ela observa pela janela do trem, todos os dias. Quando a jovem desaparece, Rachel decide ajudar a resolver este mistério. Porém, a moça era babá do ex-marido da protagonista (Justin Theroux) e, logo, a situação fica bem mais complicada do que aparenta.

Com direção de Tate Taylor e um elenco estrelado formado por Rebecca Ferguson, Edgar Ramírez, Lisa Kudrow, Allison Janney e Laura Prepon, A Garota no Trem chega aos cinemas brasileiros em novembro de 2016. 

10 abril 2016

Resenha: Nunca Jamais

Título: Nunca Jamais
Título Original: Never Never   
Autor: Colleen Hoover e Tarryn Fisher
Editora: Galera Record
Páginas: 192
Classificação5/5






























Sinopse:


Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.


Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.



Meu primeiro instinto é dizer a ela que vai ficar tudo bem, que eu vou descobrir o que aconteceu. Sou inundado com uma necessidade esmagadora de protege-la – só que não tenho ideia de como fazer isso quando estamos ambos enfrentando a mesma realidade.


    Eu me sinto tão confusa quantos os personagens desse livro. Silas e Charlie, acordam um dia sem memórias, não sabem quem são, não sabem o nome de seus pais, onde moram e muito menos que são um casal. Lembram coisas aleatórias, como por exemplo: Saber dirigir, letras de músicas, presidente, mas nada de seu convívio pessoal. A história é narrada pelos dois pontos de vista, capítulos intercalados entre Charlie e Silas
    Ao decorrer da história ficamos cada vez mais intrigados e fazemos várias suposições sobre o porque da perda de memória do casal. A cada virada de página descobrimos juntos com os personagens um pouquinho daquilo que parece fazer sentido, ou talvez não. Uma coisa é fato, não consegui parar de ler e porque? Queria saber o final, mas o mais frustrante é que não tem final.
    A última página me fez ficar ainda mais curiosa, querendo saber o sentido para tudo aquilo, para alguém muito ansioso não recomendo ler essa primeira parte se não tiverem como ler as outras duas. Sim, essa história foi divida em três partes que aí sim finaliza o livro.
    A pesar da confusão e curiosidade, posso dizer que amei, não sou a pessoa mais curiosa do mundo, mas sim preciso da continuação urgente.
    Super recomendado como qualquer coisa que Colleen Hoover escreve, sobre a autora Tarryn Fisher é o primeiro contato que tenho, e claro, quero ler uma obra que seja escrita somente por ela para tirar minhas conclusões.


02 abril 2016

Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams 
Direção: Zack Snyder
Gênero: Ação
Duração: 151 min.
Distribuidora: Warner Bros
Classificação Etária: 12 Anos

Classificação5/5



























Sinopse:

Após os eventos de O Homem de Aço, Superman (Henry Cavill) divide a opinião da população mundial. Enquanto muitos contam com ele como herói e principal salvador, vários outros não concordam com sua permanência no planeta. Bruce Wayne (Ben Affleck) está do lado dos inimigos de Clark Kent e decide usar sua força de Batman para enfrentá-lo. Enquanto os dois brigam, porém, uma nova ameaça ganha força.


Impressões:
  
    Como não amar? Mesmo aqueles que não são fãs dos quadrinhos "assim como eu",( na verdade nunca tive curiosidade de ler HQ), vão entender bem o contexto. Eu fui ao cinema totalmente certa de que já sabia de um baita de um spoiler, mesmo assim não me abalei. Achei tudo incrível tudo maravilhoso, com pequenas ressalvas claro.
    Sei que o final foi de acordo com as histórias em quadrinhos, mas #chatiada!. O Lex Lutor está mais para caricatura de Coringa, nunca em minha vida imaginei um Lex assim. Nunca gostei das "mocinhas", sempre achei que elas davam muito trabalho aos nossos heróis, volte e meia eles tinham que parar o que estavam fazendo para salva-las. Em Smalville isso sempre acontecia com Lana, Clark sempre estava salvando de alguma coisa.
    Não vou dizer que o Superman não teve que salvar Lois Lane uma ou duas vezes, tá tudo bem, talvez três. De qualquer forma eu adorei o desempenho de nossa Lois, talvez por eu ser fã de carteirinha do trabalho da atriz Amy Adams.
    Tiro meu chapéu pra linda da mulher maravilha, que sem dúvida realmente é maravilhosa, achei que foi uma escolha acertada. Agora os protagonistas não tenho nem o que falar, o que dizer daquele Clark Kent/ Superman, uma perfeita combinação, talvez um tanto melancólico mas sem dúvida perfeito.
    Depois de ouvir muitos mimimi de que Ben Affleck teria sido uma péssima escolha de Batman, creio que muitos haverão de queimar suas línguas.




    




.